Os 10 principais fatores que você deve considerar antes de comprar carros usados

Planejando comprar um carro usado? Comprar um carro usado pode ser uma tarefa muito agitada do que comprar um carro novo, pois na verdade nunca se sabe o desempenho de um carro em segunda mão por você e por quanto tempo. Nunca há garantias com um carro velho. A única coisa que pode economizar com qualquer perda na compra de um carro usado é o trabalho árduo realizado por você em uma pesquisa detalhada. Existem vários fatores importantes que precisam ser considerados ao comprar um carro usado. Aqui está o guia completo para você divulgar os 10 principais pontos, considerando qual você pode tomar uma decisão ideal.

 

1. Orçamento – fator mais básico a ser definido

Os carros usados ​​vêm em todas as faixas de preço e a primeira coisa mais importante que o ajudará a diminuir suas escolhas é o seu orçamento. A configuração do orçamento é a etapa básica que você precisa executar para ter uma visão geral de que tipo de carros usados ​​você pode ter. É importante definir o orçamento em um valor que você possa pagar convenientemente.

2. Faça uma boa pesquisa você mesmo

Dependendo apenas das concessionárias de carros usados, às vezes pode ser um erro, pois os vendedores pretendem vender o que tiverem mais lucro. E às vezes você pode ser influenciado pelas reivindicações de desempenho e garantias verbais dos vendedores, e é aí que você se entrega a perdas. Portanto, é sempre uma idéia melhor dedicar algum tempo pesquisando o mercado de carros usados. Uma vez que você tenha clareza sobre o modelo do seu carro e os requisitos de especificação, você definitivamente evitará confusões e, por sua vez, as perdas.

3. Crie uma lista de modelos de carros usados ​​direcionados

Se você planeja comprar um carro em segunda mão, é melhor considerar comprar um carro de um fabricante confiável. Carros de fabricantes confiáveis ​​podem custar um pouco mais do que outros, mas a confiabilidade oferecida por eles será a melhor. Crie uma lista dos principais fabricantes e modelos nos quais você está interessado. Essa lista de destino precisa incluir carros que se enquadram no seu orçamento. Essa lista facilitará seu processo de compra de carros.

4. Verificar revisões e preços de custo

Qualquer que seja o modelo de carro usado, é melhor verificar seu custo on-line e saber se esse carro está dentro do seu orçamento ou não. Verificar revisões on-line é outro fator importante a ser considerado. Como comentários, você terá uma idéia do que os outros dizem sobre um modelo específico de carro usado.

5. Realização de inspeção mecânica completa

Se você deseja eliminar as cobranças excessivas de manutenção do seu carro usado, é imprescindível ter tempo para realizar uma inspeção mecânica completa. Fazer o teste com a ajuda de um mecânico profissional é a melhor idéia. Portanto, se você tem algum mecânico profissional em sua família ou círculo de amigos, peça ajuda a ele.

6. Vá para um veículo usado certificado

Para ter um nível extra de qualidade garantida, a compra de um veículo usado certificado pode ser uma decisão sábia. Você pode conferir carros usados ​​com revendedores locais com garantias que podem ir além da nova cobertura inicial.

7. Confira o relatório completo do histórico do veículo

Passar por um relatório completo do histórico do veículo pode ajudá-lo a revelar todos os problemas do carro usado em consideração. Ele permitirá que você saiba sobre os acidentes anteriores, histórico de propriedade e pontos de serviço, oferecendo uma ideia transparente da condição atual do carro, com base na qual você pode tomar uma boa decisão.

8. Faça sempre um teste de estrada

Nunca considere comprar um carro sem fazer nenhum teste na estrada. Isso se torna importante ao comprar um carro usado, pois você pode ter uma idéia de sua condição fazendo uma carona. O nível de conforto que ele oferece permitirá que você saiba o quão bem ele irá com você.

9. Cuidado com a papelada

Sempre tome cuidado com a papelada ausente ou incorreta. Se você estiver comprando carro usado com uma concessionária certificada, sempre examine o certificado de segurança. Verifique se o VIN (número de informações do veículo) corresponde ao do carro ou não. O certificado não deve ter nenhuma área preta também.

10. Aprenda estratégias de negociação

Negociação é a arte que pode ajudá-lo a obter bons benefícios ao comprar carros usados. Lembre-se sempre dos descontos que você pesquisou ao explorar o mercado de carros usados. Negocie com o revendedor conforme esses descontos. Essa negociação ajudará você a ter um carro usado de qualidade a preços incríveis.

Espero que os pontos úteis mencionados acima o guiem na direção certa ao comprar um carro usado. Se você estiver procurando por carros usados, opte sempre por um mercado on-line confiável de carros usados.

 

10 dicas para desmamar seu filho fora da chupeta

1. Hora certa

 

A chupeta pode ajudar a prevenir a Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSL), por isso é importante permitir que seu bebê use uma se ela quiser até os seis meses de idade , quando o risco de SMSL diminui bastante,. E não tente tirar o bebê da chupeta durante os principais eventos da vida, como iniciar uma nova creche ou uma mudança de casa, quando o bebê puder usar um calmante extra.

2. É um must-do aos dois anos

Antes dos dois anos de idade, seu bebê não sofrerá danos a longo prazo nos dentes. Qualquer problema que se desenvolva antes desse período provavelmente será corrigido automaticamente dentro de seis meses após o abandono do hábito da chupeta. Após os dois anos de idade, problemas como dentes inclinados podem começar a ocorrer. E o uso de chupeta após os quatro anos de idade, quando os dentes adultos começam a se formar, pode significar problemas dentários a longo prazo.

3. Alguns especialistas dizem que desistiram daqui a 12 meses

O uso frequente de chupeta nos últimos 12 meses pode interferir nas habilidades de desenvolvimento de linguagem de uma criança , dizem alguns especialistas. O motivo é duplo: é menos provável que uma criança pratique sons e palavras quando estiver com um binky na boca, e o ato de chupar a chupeta pode causar o desenvolvimento anormal dos músculos da língua e dos lábios. É possível que o uso prolongado de chupeta contribua para o desenvolvimento de cãibras.

4. Ir frio na Turquia pode ser o melhor

Pode demorar alguns dias, mas o anexo da chupeta acabou. Felizmente, existem maneiras gentis e gentis de abandonar os binkies de uma vez por todas. Seu pequenino valoriza a chupeta, então trate-a como um bom amigo a quem você deve dar um adeus. Continue lendo para ter algumas idéias de como ajudar docemente o seu filho a desistir da chupeta.

5. Coloque todos a bordo

Verifique se todos os cuidadores estão cientes de seus planos para a chupeta. Você deseja que a mensagem e a experiência em relação ao uso de chupeta sejam consistentes em casa, na creche e na casa da avó ou corre o risco de confundir seu filho. Portanto, se você quiser que a chupeta seja usada apenas na hora da soneca ou na hora de dormir, por exemplo, não se esqueça de se comunicar com todos os adultos envolvidos.

6. Oferecer confortos alternativos

Quando você tirar a chupeta do bebê pela primeira vez, provavelmente precisará acalmá-lo de outras maneiras. Balançar, um movimento de balanço suave, canto suave e massagem suave são algumas maneiras de ajudar a aliviar o desconforto do bebê e ajudá-lo a se acalmar sem a ajuda de uma chupeta, diz a Clínica Mayo. Para bebês mais velhos, cobertores com uma borda macia de cetim ou um bicho de pelúcia aconchegante podem proporcionar o conforto que seu pequeno deseja.

7. Desmame-a

Se simplesmente tirá-lo não lhe interessar, tente lentamente retirar o seu pequeno da chupeta. Comece dando apenas na hora da soneca e na hora de dormir. Depois de algumas semanas, pare de oferecê-lo na hora da soneca. Se o seu filho se agita, tente dar-lhe um brinquedo fofinho ou consolá-lo através de movimentos de balanço e outros gestos calmantes. Quando seu filho estiver ajustado para tirar uma soneca sem a chupeta, é hora de trabalhar na hora de dormir. No começo, você pode removê-lo do berço depois que seu bebê estiver dormindo e cuspiu e depois começar a colocá-lo no chão sem ele.

8. Distribua-os

Algumas mães têm sucesso usando a razão com seus bebês. Você pode explicar ao seu filho que ele agora é uma menina grande e que existe um bebê por aí que precisa de chupeta para parar de chorar. Envolva o seu pequeno na decoração de uma caixa para o bebê, depois junte todas as chupetas e coloque-as nela. Se você tem um amigo com um bebê, lembre-se de entregar esta caixa para o bebê ou leve-a a um dentista pediátrico que distribuirá os binkies aos bebês (piscadela, piscadela). Certifique-se de oferecer muitos elogios e um pequeno presente ao seu filho por ser um “garoto grande” tão gentil e generoso.

9. Torne-os desagradáveis

Se o seu filho está muito apegado à chupeta, pode ser que a chupeta seja extremamente desagradável para ajudá-lo a quebrar o hábito. Uma maneira de fazer isso: mergulhe as chupetas em suco de limão ou vinagre; o gosto terrível poderia afastá-lo dos “manequins” de silicone para sempre. Outra maneira que muitas mães tentam é cortar a ponta, o que desativa o poder de sucção da chupeta. Esteja ciente de que alterar uma chupeta pode torná-la um risco de asfixia se as peças se desfazerem.

10. Introduzir a fada Binky

Aqui está uma maneira divertida de dizer adeus a essas chupetas traquinas: encenar uma visita da fada Binky. Diga ao seu filho que a Binky Fairy virá assim que ele estiver pronto para fazer a chupeta. Ajude-o a coletar todas as chupetas e colocá-las em uma caixa na porta ou em uma cesta elegante que você possa pendurar em uma árvore do lado de fora. Faça deste ritual o maior número de produções que achar necessário para ajudar seu filho a deixar de lado suas chupetas premiadas. A fada Binky fará uma visita para recolher a caixa e deixar um brinquedo em seu lugar.

As 10 doenças mais recorrentes cobertas por planos de saúde

 

Os planos de saúde devem ser escolhidos com cautela para que consigam atender todas as suas necessidades. E, caso você não saiba, a ANS possui uma lista bem extensa com as obrigações que devem estar disponíveis em todos os convênios médicos.

Quais são os tipos de planos de saúde disponíveis?

Os planos de saúde são divididos em:

Novos

São todos os planos contratados após o dia 02 de janeiro de 1999. São obrigatórias o cobrimento de todas as doenças citadas na Classificação Internacional das Doenças. Fiscalizados pela ANS, Leis dos Planos de Saúde e ainda o código de defesa ao consumidor. 

Antigos

Esses são os planos contratados antes do dia 02 de janeiro de 1999. Ou seja, ele não é fiscalizado pela ANS e pode não seguir as Leis dos Planos de Saúde. Porém está presente no código de defesa ao consumidor. Você pode fazer a mudança de seu plano para o novo a qualquer momento, basta entrar em contato com a operadora com a qual você fez o contrato. 

Adaptado

São os planos que foram contratados antes da data do dia 02 de janeira de 1999, mas que obtiveram as alterações perante a Lei dos Planos de Saúde, garantindo ao paciente os procedimentos oferecidos ao plano novo. 

Quais são as doenças cobertas pelo plano de saúde?

Alguns critérios que foram estabelecidos abrangem diversas doenças, entre elas Atrofia Molecular Espinhal, câncer de tireoide, câncer gástrico difuso hereditário, câncer de mama e ovário, hemocromatose, leucemias agudas, Transtorno do Espectro Autista, hemofilia, Síndrome de Charge, fibrose cística, entre outras. 

Câncer de Mama

Nos casos de câncer de mama, a cobertura é obrigatória pela ANS nas mulheres que possuem diagnóstico atual ou prévio quando preenchidos ao menos um dos critérios: diagnóstico de câncer de mama de até 35 anos; diagnóstico de menos ou igual a 50 anos e mais um dos seguintes critérios; um segundo tumor primário na mama; possuir um ou mais parentes de 1°, 2° e 3° com diagnósticos de câncer de mama ou ovário; entre outros. 

Transtorno do Espectro Autista

Já nos casos de pacientes com Transtorno do Espectro Autista, a cobertura é obrigatória para ambos os sexos, e que possuam manifestações clínicas sugestivas, também quando apresenta um dos critérios: crises convulsivas, deficientes intelectuais, malformação do sistema nervoso central, autismo isolado, microcefalia ou macrocefalia, síndrome do X-fácil e alterações no cariótipo. 

Além disso, a ANS assegura o tratamento de doenças e problemas relacionados à saúde de classificação Internacional de Doenças, contando com um total de 3.329 procedimentos. Dependendo de sua operadora, é possível que ela cubra uma parte muito maior daquela que é obrigatória. 

Cirurgia Bariátrica

São incluídos também, além dos já citados, a cirurgia bariátrica, o oferecimento dos remédios para o tratamento do câncer, cirurgia refrativa, fisioterapia e proteses e orteses. Esses são mais alguns exemplos dos procedimentos que a ANS assegura como obrigatórios. 

A cirurgia bariátrica, por exemplo, os pacientes devem ter entre 16 e 65 anos, com obesidade mórbida ou a falha no tratamento clínico da obesidade, realizado até dois anos. Ainda, o paciente deve ter entre 35 kg/m2 e 39,9 kg/m2 definida pela IMC, com comorbidades ou que ameacem a vida; ou IMC maior de 40 kg/m2, havendo ou não, comorbidades. 

Próteses e órteses

Nos casos das próteses e órteses, são inúmeras as existentes para nós, seres humanos. Uma prótese serve para substituir totalmente ou parcialmente um tecido, membro ou órgão. Já a órtese auxilia nas funções do corpo humano. 

A maioria desses procedimentos são necessários de intervenção cirúrgica para colocação, e nesse caso, devem ser cobrados após a avaliação pelos planos. 

Para os dispositivos que não são implantáveis, um exemplo são as lentes de contato, não vão possuir uma cobertura obrigatória. 

Os prós e contras de vitaminas e suplementos

Se você simplesmente tomar suas pílulas (estamos falando de vitaminas aqui) sem pensar muito, poderá estar perdendo totalmente seu dinheiro. A terapeuta nutricional e redatora de saúde Naomi Mead nos ensina como tirar o máximo proveito de nossos votos

 

Mantenha-os em um local fresco e escuro

 

A eficácia das vitaminas é reduzida quando expostas ao calor e à luz. Suplementos que contêm gorduras ômega-3 como óleos de peixe (que são bons para o coração) devem ser mantidos na geladeira.

Siga as instruções … sempre!

Você deve sempre seguir os conselhos fornecidos na embalagem. Preste muita atenção a tudo, desde a dosagem e se deve ou não ser tomado com alimentos até as horas do dia em que você deve tomar suas pílulas. Os fabricantes não colocam esse conselho lá para sua própria diversão – existe para mantê-lo saudável.

Emparelhe suas vitaminas com a comida certa

Vitaminas A e E (ótimas para pele, visão e imunidade), D (para ossos e dentes fortes) e K (para sangue saudável) são todas vitaminas lipossolúveis, o que significa que devem ser ingeridas com refeições contendo gorduras alimentares, como peixe e carnes magras. Dessa forma, seu corpo os absorverá totalmente e você colherá todos os benefícios à saúde.

Tenha cuidado se você já estiver tomando medicação

Se você estiver tomando qualquer tipo de medicamento, converse definitivamente com seu médico antes de tomar uma nova vitamina ou suplemento. Por exemplo, suplementos como alho, vitamina K, Gingseng e Omega-3 podem interferir com certos medicamentos projetados para diluir o sangue (como a varfarina).

Escolha sabiamente

Sempre verifique se você está tomando a melhor forma de vitamina. Por exemplo, na verdade, existem duas formas de vitamina D – a forma natural D3, que é a mesma que a vitamina D produzida em nossos corpos, mas a forma sintética D2 é muito menos eficaz. Peça ao balcão mais informações sobre a vitamina específica que você está comprando. 

Evite certos suplementos se você é fumante

Os fumantes precisam fazer sua pesquisa antes de tomar qualquer vitamina, porque a pesquisa sugere que alguns suplementos como o caroteno (que podem melhorar a visão) podem aumentar o risco de câncer de pulmão. Combine isso com as bichas e você está pedindo problemas.

Não tome suas vitaminas com uma xícara de chá

Evite tomar suplementos ou vitaminas com uma xícara de chá ou café, porque a cafeína e os taninos podem impedir que seu corpo absorva os nutrientes. Alerta de desperdício de tempo / dinheiro!

Não Dobrar

Pode ser tentador dobrar sua dosagem se você esquecer seus cílios um dia, mas dobrar pode ser extremamente perigoso. Apenas anule a pílula perdida e continue a tomá-la normalmente.

Não tome novos suplementos se estiver grávida

Não comece a tomar novas vitaminas quando estiver grávida ou amamentando sem antes falar com o seu médico de família.

Não suponha que todos os suplementos sejam criados iguais

As notas profissionais de qualquer vitamina têm mais probabilidade de conter as formas naturais da vitamina do que as alternativas mais baratas, o que significa que seu corpo será capaz de absorvê-las com mais facilidade e eficiência. Mas você não precisa gastar muito dinheiro na compra de suplementos – existem várias marcas de qualidade e preço acessível disponíveis no supermercado local. Vitabiotics e Centrum são dois exemplos fantásticos de vitaminas acessíveis, repletas de benefícios à saúde.

É seguro ter relação sexual durante a Menstruação?

Mesmo com toda a informação que possuímos nos dias de hoje, muitas mulheres ainda sentem algum tipo de insegurança quando falamos de praticar sexo durante a menstruação. Por mais que o receio persista na cabeça de muitas, não há contra indicação, muito pelo contrário, porém alguns cuidados devem ser tomados. Confira quais são eles:
 

Risco de contrair infecções e DSTs

A temperatura normal do pH vaginal é entre 3,8 até 4,5, tornando-se mais elevada durante a menstruação. Isso significa que também aumentam as chances de desenvolver infecções ou DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis). As mais comuns são a urinária e a candidíase. Isso ocorre porque os micro-organismos se desenvolvem de forma muito mais rápida em tais condições. 

Estes riscos certamente serão minimizados com o uso de camisinhas e com a prática de sexo  debaixo do chuveiro. O ideal é esperar pelos últimos dias do ciclo, para evitar que escorra sangue nos lençóis. Caso esteja usando um absorvente interno, deve-se retirá-lo antes, pois durante a penetração, ele pode ser empurrado para o fundo da vagina, sendo mais difícil após, retirá-lo da forma convencional, precisando de auxílio médico em muitos casos.

Benefícios    

  • Ajuda no alívio de sintomas como cólica e desconforto na região do abdômen, por causa da liberação de endorfinas na corrente sanguínea, principalmente após a mulher alcançar o orgasmo, o que ainda auxilia na diminuição da dor de cabeça e irritabilidade.  

  • A região genital fica mais sensível, permitindo que a mulher sinta mais prazer e que encontre o orgasmo de forma mais rápida.  

  • Possibilidade de encurtar o período menstrual, pois as contrações vaginais facilitam a saída do sangue menstrual.
     
  • A região fica lubrificada de forma natural, assim, não existindo a necessidade de usar lubrificantes íntimos.

Cuidados para não engravidar

Como citado anteriormente, o método mais comum e seguro é o uso de preservativos, sem falar que também ajudam na prevenção de doenças. Entretanto, há outras alternativas como a pílula anticoncepcional e o DIU (Dispositivo Intra Uterino). Caso a mulher tenha relações sexuais sem proteção durante o período de menstruação, ela possui chances de engravidar, pois os espermatozoides podem sobreviver por até sete dias dentro de seu corpo. 

O risco é ainda maior em mulheres que possuem o ciclo irregular. É aconselhável que as relações sexuais ocorram nos últimos dias do período menstrual, pois as chances de engravidar são bem menores.     

Referência texto: https://www.tuasaude.com/relacao-sexual-e-menstruacao/#articleSurvey

 

 

Qual a diferença entre Colostomia e ILeostomia?

Existem alguns procedimentos que possuem semelhanças entre si, no entanto, são para finalidades diferentes, como é o caso da Colostomia e Ileostomia.

Quer saber qual a indicação desses procedimentos e qual a diferença entre Colostomia e Ileostomia? Confira aqui neste artigo.

Por que uma colostomia ou ileostomia é feita?

Quando algumas doenças acometem o intestino, muitas pessoas se preocupam com o uso de equipamentos médicos temporariamente ou de forma permanente, no entanto, o uso de bolsa de colostomia ou bolsa de ileostomia pode ser temporário.

Mas, antes de se preocupar com essa parte é preciso entender qual a diferença de cada procedimento e indicações médicas:

Uma colostomia ou ileostomia é feita quando parte do intestino precisa ser removida ou contornada, ambas são realizadas para o tratamento de:

  • Câncer de cólon, reto ou ânus
  • Doença inflamatória intestinal, como colite ulcerosa ou doença de Crohn
  • Polipose adenomatosa familiar
  • Obstrução intestinal
  • Lesão que danifica o intestino
  • Diverticulite
  • Defeitos congênitos do intestino

Diferenças entre a Colostomia e ileostomia

Tanto um quanto o outro é como um desvio intestinal que pode ser realizado temporariamente ou permanente, de acordo com a situação de cada paciente. O que os difere é o local em que a abertura é realizada. Confira:

Uma Colostomia é o procedimento para criar uma abertura do cólon para a parte externa do corpo através da parede abdominal.

Já a Ileostomia é realizada para criar uma abertura do íleo para a parte externa do corpo através da parede abdominal.

A abertura criada por uma colostomia ou ileostomia é chamada estoma.

A finalidade dos procedimentos acima é permitir que o intestino descanse e se recupere após a cirurgia, nos casos em que a indicação é temporária.

Para os casos de permanência, o procedimento é realizado se o esfíncter anal e a parte inferior do reto forem removidos.

Como é feita uma colostomia ou ileostomia?

Uma colostomia ou ileostomia é feita em um hospital usando anestesia geral (você estará dormindo).

O cirurgião pode usar uma técnica aberta ou uma técnica laparoscópica. Com a técnica aberta, é feito um corte no abdômen para atingir o intestino. Com a técnica laparoscópica, pequenos cortes são feitos no abdômen. Um endoscópio e ferramentas são inseridos através dos cortes para fazer a cirurgia.

A técnica aberta é usada mais comumente do que a técnica laparoscópica para colostomia ou ileostomia.

Dependendo do motivo da colostomia ou ileostomia, uma ressecção intestinal pode ser feita primeiro.

Uma ressecção intestinal é usada para remover completamente a parte doente ou danificada do intestino.

Para realizar esses procedimentos, uma extremidade do cólon ou íleo é levada a uma abertura na superfície do abdômen. O cirurgião costura as bordas da parte cortada do cólon ou íleo na pele do abdômen para formar o estoma, depois ele fecha a outra extremidade cortada do cólon ou íleo com pontos ou grampos.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais podem acontecer com qualquer tipo de cirurgia, mas a experiência de todos é diferente. Algumas pessoas têm muitos efeitos colaterais. Outras pessoas têm pouco ou nenhum.

Os efeitos colaterais de uma colostomia ou ileostomia incluem:

  • Dor
  • Sangramento
  • Infecção
  • Coágulos de sangue
  • Hérnia perto do estoma
  • Prolapso
  • Desidratação
  • Obstrução intestinal
  • Outros.

Depois da cirurgia

Após a cirurgia, você precisará permanecer no hospital por vários dias. Você receberá remédios para dor para mantê-lo confortável e terá o tratamento de hidratação com líquidos por 1 a 2 dias após a cirurgia. Alimentos sólidos serão introduzidos lentamente.

Quando você passa por esses procedimentos, não consegue controlar os movimentos intestinais. Portanto, é utilizada uma bolsa sobre a ostomia o tempo todo.

Enquanto você estiver no hospital, uma enfermeira de ostomia o ensinará como conviver e cuidar da ostomia.

Se a colostomia ou ileostomia for temporária, sua equipe de saúde conversará com você sobre quanto tempo precisa usá-la, o que, geralmente, ocorre por alguns meses. Depois que o resto do intestino grosso estiver cicatrizado, você fará outra cirurgia para juntar as duas extremidades do íleo ou cólon. Este procedimento é chamado de anastomose.

O cirurgião também fechará a abertura no seu abdômen. Após esta segunda cirurgia, você poderá voltar a sua rotina normalmente.

 

Nutrientes essenciais presentes no coco e seus benefícios

Nutrientes essenciais presentes no coco e seus benefícios

Você é amante de coco e adora incrementá-lo em receitas especiais em sua cozinha? Saibam quais são os nutrientes essenciais presentes no coco e seus benefícios. Faça desse um dos seus ingredientes favoritos.

Principais nutrientes do coco

O coco é um fruto calórico, uma vez que cerca de 100 g de coco cru fornecem cerca de 342 calorias provenientes de gorduras boas (34%). É pobre em carboidratos (4,8 g por 100 g) e proteína (4,2 g em 100 g), embora seja notável em fibras (8 g).

Ele possui vitaminas e minerais como potássio, fósforo, magnésio, ferro e vitaminas E, C e grupo B em quantidades mínimas.

Sua água é uma excelente bebida isotônica e seu óleo é antiviral, antimicrobiano e antifúngico.

FARINHA: MUITA FIBRA E ZERO GLÚTEN

Pessoas com intolerância ao glúten têm um valioso aliado na farinha desse delicioso fruto: é usada para fazer bolo de coco e diversas outras receitas de padarias que você pode encontrar no Tudo na Cozinha.

É mais pobre em carboidratos (16%) do que a farinha de cereais (70%), mas fornece muita fibra (40% do peso, 12% da farinha de trigo integral) e duas vezes mais proteínas (26%).

UM LEITE DELICIOSO

O leite de coco possui gorduras boas e é grosso. De acordo com sua diluição, contém entre 15 e 22% de gordura. É muito menor que o leite de vaca integral, que fica entre 30 e 35%, mas se você deseja perder peso, não é recomendável tomar mais de 60 ml por dia e sempre deve ser consumido em qualidade orgânica.

COLESTEROL MAIS BAIXO

75% das gorduras do coco estão saturadas, mas sua riqueza em ácido láurico reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o bom colesterol (HDL)

REIDRATAÇÃO DE ÁGUA

A água de coco é uma bebida isotônica natural obtida a partir de cocos verdes, colhidos em cinco ou seis meses. É leve e fornece açúcares e gorduras em doses moderadas, além de minerais e vitaminas.

UM ÓLEO ANTIMICROBIANO

O coco maduro é composto por 35% de óleo de coco, o único formado em mais de 50% por ácidos graxos de cadeia média, facilmente digerível. São assimilados sem a ajuda da bílis, são solúveis em água e penetram suavemente na corrente sanguínea e no fígado, onde são transformados em energia.

Por outro lado, estudos sugerem que ele possui ação antimicrobiana, antiviral e antifúngica, interna e externamente. Pode ser usado como óleo corporal em infecções fúngicas ou bacterianas. Em países tropicais como a Tailândia, é usado para cozinhar, pois suporta bem altas temperaturas.

O óleo de coco só pode ser usado se prensado a frio

Os efeitos benéficos do óleo só podem ser atribuídos aos obtidos por prensagem a frio de cocos recém-colhidos (preferencialmente orgânicos), não refinados, descoloridos ou desodorizados, e embalados em vidro, prontos para serem utilizados.

Coco na cozinha

Para saber se um coco está em boas condições, basta agitá-lo. Se a água for ouvida quando estiver em movimento, ela será fresca. Ao abri-lo, é conveniente remover a água fazendo um buraco com uma faca afiada em um de seus três olhos.

A polpa é extraída quebrando o coco martelando ou envolvendo-o com um pano e jogando-o no chão. Para conservar sua polpa, ela deve ser colocada em um recipiente com água e armazenada na geladeira. Permanece até três dias se a água for trocada diariamente.

ATENÇÃO AO COMPRAR ÁGUA DE COCO INDUSTRIALIZADA

Ao comprar água de coco pronta para consumo, certas precauções devem ser tomadas. Nem todas as águas de coco comercializadas são igualmente puras. De fato, a água pura de coco, à qual os benefícios à saúde podem ser atribuídos, é aquela removida da fruta ou embalada adequadamente, sem acréscimos.

Muitos produtos comercializados como tais geralmente adicionam ácido ascórbico (vitamina C) como conservante e até adoçantes e outros aditivos. Também não é a água de coco autêntica que vem dos concentrados.

 

Dicas de moda feminina: Saiba se vestir bem para a academia

Toda mulher gosta de se sentir linda e arrasar no visual escolhido não é mesmo? Então, na hora ir a academia não é diferente.

Saber o que vestir na hora de ir para a academia é essencial, embora a idéia principal seja se sentir confortável acima de tudo, as pessoas gostam de se sentir fiel ao seu estilo e estar bem consigo mesma, pois isto é um fator de motivação e esse estímulo é imprescindível durante a atividade física.

Devido a isso, hoje existem inúmeras opções para você montar o seu look de academia, há diversas opções de cores, formas e tecnologia, que atendem a todo tipo de corpo, mas lembre-se, as roupas devem ser avaliados com cuidado, principalmente as que marcam muito a virilha e o quadril, pois isto pode deixar o seu look vulgar.

Então aqui vão algumas dicas para você não errar mais na hora de comprar suas roupas fitness, chegou a hora de fazer bonito e conseguir o destaque que você merece, chega de passa despercebida.

Roupas fitness para arrasar

Legging

Parceira número um de toda mulher que vai a academia, na hora de escolher qual legging usar, de preferência a legging jacquard, pois marca menos a calcinha e esconde as imperfeições do corpo ou as legging com cores mais sóbrias e fáceis de combinar, como o preto e o marron.

As legging estampadas estão em alta e são indicadas para pessoas que tem as pernas finas e deseja valorizá-las, pois aumenta o volume do corpo.

Lembre-se, ao escolher sua legging, tome bastante cuidado com o tecido, pois alguns tecidos de qualidade inferior ao serem esticados ficam transparentes.

Short

Os shorts-saia e os shorts de poliéster vem conquistando cada vez mais o mercado, pois além de deixar o look bem feminino, não deixam o bumbum marcado.

Os shorts costumam ser indicados principalmente para pessoas longas e magras, não sendo recomendado para pessoas um pouco acima do peso, pois aumenta o volume das pernas e acaba por deixar muitas vezes o visual deselegante.

Top

Os tops estilo cropped estão em alta, são lindos e versateis. Pessoas com seios fartos, devem investir em tops reforçados e justos, enquanto que pessoas de seios pequenos, podem optar por modelos trabalhados, com decote e bojo.

Os tops mais comuns de se encontrar nas academias são o estilo nadador e o de sustentação.

Macacão

Muitas mulheres deixam de usar o macacão por achar que ele marca o corpo em excesso, porém, quando o macacão é feito com tecido de qualidade, ele ajuda a valorizar os pontos fortes como as curvas e afinam a silhueta. Então pessoas que não estão muito acostumadas, vale a pena usar com uma camiseta por cima até que fiquem totalmente habituadas a esse tipo de roupa para malhar.

Agora que conferiu mais uma de nossas dicas, não deixe de aproveitar as ofertas que você vai encontrar no site das lojas Renner, após efetuar a compra com o seu cartão Renner, você pode acessar a “Renner Fatura” diretamente pelo site.

Caso queira mais dicas de beleza para estar sempre impecável, acesse: https://guiadocorpo.com/guia-de-como-passar-fixador-de-maquiagem/