SLIDE

31 julho 2017

O Autista na escola

Ter um autista em sala pode ser um desafio. 
E parece muito bonita a expressão “aluno de inclusão”, mas na verdade o que a gente encontra pelas salas de aula pelo Brasil são alunos autistas que não encontram equipamento necessário para se desenvolver, porque muitas professoras ainda tentam obriga-los a estudar como as crianças típicas, ou seja com lápis e caderno. E professoras que não sabem lidar com eles.
Mas que fique claro, isso não é culpa delas.


O professor não recebe preparação para lidar com crianças especiais e mesmo quando busca essa preparação só encontra um amontoado de informações técnicas que na prática não fazem nenhum sentido.
O resultado disso é o desespero quando se depara com um autista, porque não sabe como é um colapso nem porquê ele acontece, e muito menos como lidar com ele caso aconteça;

Aqui vai um pouco de informação sobre práticas da rotina com o autista, que fazem toda a diferença num momento de nervosismo extremo, ou colapso, mas entenda, nenhum autista é igual ao outro portanto o que funcionava para o seu aluno autista do ano passado, pode não funcionar esse ano. Ninguém é igual, mas se um aluno autista estiver tampando os ouvidos, gritando, batendo muitas palmas ou com outros sintomas de agitação experimente:

  • ·         Abaixar os volumes
  • ·         Leva-lo para lavar as mãos-Alguns autistas gostam bastante de água.
  • ·         Permitir que ele escute a voz da mãe, ligue para ela.
  • ·         Cantar uma música que ele goste.
  • ·         Abraça-lo- Alguns autistas gostam muito desse contato


21 julho 2017

Advogadas criam assessoria jurídica para mulheres.

Muitas mulheres que são mães provavelmente já tiveram que lidar com uma situação difícil e delicada: ter que voltar para o trabalho após a licença maternidade. 
O ambiente corporativo ainda é em muitos casos hostil, frio, repleto de exigências e mal remunerado. 
Sem contar com o afastamento abrupto entre mãe e bebê. A advogada Thais Perico sentiu na pele esse dilema. Depois do nascimento da sua filha mais nova em novembro de 2015, se desligou da empresa que trabalhava para que pudesse ter mais tempo com a criança recém nascida.
Nesse período de hiato, aflorou uma vontade antiga: militar pela causa das mulheres no campo judicial. Juntamente com a amiga, sócia e também advogada Bruna Lima, começou a traçar um plano de assessoria especializada em mulheres. 
Juntas criaram a Lima Perico Advogadas.



Associadas, especializada no atendimento exclusivo de mulheres.
O objetivo é atender de maneira ampla e integral todas as mulheres que necessitam tratando desde questões individuais, extrajudiciais, como as mais complexas, com abrangência coletiva e judicial. 
O desejo de fundar uma assessoria especializada em mulheres não veio sozinho. Atuando na área há mais de 13 anos, as advogadas também conhecem pontualmente as dificuldades que o público LGBTI enfrenta na sociedade, desde questões simples como direito ao uso do nome social pelos transexuais e travestis, até questões mais complexas como certidões, emissões de documentos, casamento, adoção, dentre outros que a própria prática não sabe nomear, tratando-os genericamente por direito homoafetivo. “Como se homossexualidade fosse a descrição da comunidade e um problema a ser enfrentado” afirma Thais.
A assessoria pretende também promover palestras, encontros e debates sobre assuntos ligados à legislação, especialmente no que se refere ao direito da mulher. As advogadas acreditam que o contato direto com as mulheres possibilita uma maior aproximação, sendo mais fácil acolher e cuidar de cada caso pessoalmente.

Serviço

Lima Perico Advogadas Associadas

Endereço: Avenida Senador Feijó, 686, conj 621

Contato: (13) 3202-7531

limaperico.advocacia@uol.com.br

Informações para a imprensa

Fernanda Vicente

Pandora – Comunicação e Assessoria de Imprensa Para Mulheres

13 98131-0391

pandoraimprensa@gmail.com




18 julho 2017

Game Of Thrones- Dez maiores “what a fuck” do primeiro episódio da sétima temporada

A sétima temporada de Game Of Thrones estreou domingo e já encheu os nossos corações de neve, orgulho, vinho venenoso e sopa cocô. 
Mas quem acompanha Game Of Thrones sabe que isso é só o começo e as coisas sempre podem piorar.



Esses são aqueles dez momentos do primeiro episódio da sétima temporada de Game Of
Thrones em que você assistiu e pensou: “what a fuck!” ou “Ué? Cumassim?”. E a gente sabe que nos próximos episódios eles podem ser explicados, mas que na hora foi estranho...Ah, isso foi.

1.  A cidadela na abertura!

2. Cadê a neve? A gente achou que ia ter neve no mundo inteiro, mas ao que parece ela ainda não apareceu no Sul.

3. Como o filho da Gilly cresceu TANTO e o cabelo da Cersei não?

4.  Dois caras pra carregar um moleque que a Meeera sempre carregou sozinha?

5.  Se o Bran tá sabendo de tudo agora, ele não sabia que o Jon não está mais na muralha?

6. No fim da sexta temporada a AryaStark não era de Winterfele não estava indo pra casa? Por que agora ela tá indo pro Sul?


Páginação - Não altere este gadget!





© de tudo um pouco - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - DESENVOLVIDO POR Horion Agência Digital