SLIDE

19 maio 2016

Profissão Escritor, Michel Duarte


Gostaria de dizer coisas boas e incentivadoras para quem deseja percorrer a trilha que eu escolhi trilhar, dizer que é como andar sobre a areia fofa da praia; tranquilo e reconfortante, mas não.
Eis a verdade: ser escritor é uma tarefa árdua.
Não pelo ato de escrever, que, ainda que seja de verdadeiro regozijo, exige trabalho e dedicação, mas pelo que vem depois do escrever.



Ser escritor é encarar um mercado apertado, com um público pequenino e, por mais incrível que pareça, com mais oferta que demanda.
Ser escritor nacional é encarar dezenas de pretensos escritores, que nunca deram a chance para um livro nacional, mas sonham em se tornarem grandes Best Sellers.
Ser escritor é difícil. É muitas vezes se matar para divulgar seu trabalho, passar horas conversando com leitores (que por mais prazeroso que seja toma bastante do tempo livre do escritor – que sacrifica outros afazeres e necessidades), decidindo entre a forca e a fogueira que é o contraponto entre a publicação independente e os valores caríssimos (embora até compreensíveis em razão de como o mercado é concorrido) de uma publicação em uma editora com um mínimo de visibilidade.Ser escritor é uma lição de vida, é aprender a errar e reconhecer seus erros, é aprender a ouvir, aprender a aceitar que  nem todos irão gostar daquilo que você redige.
Ser escritor é aprender a ser humilde, aceitar as críticas que lhe são tecidas, filtrando as construtivas e com isso melhorar seu texto.
Ser escritor é, também, felicidade. 





A felicidade de ver um número no infográfico da Amazon indicando que mais um leitor terá seus livros nas suas possíveis futuras leituras, é sorrir cada vez que um leitor faz uma avaliação positiva, é participar de eventos com crianças e sentir o carinho e respeito em seus olhos.
Ser escritor é como caminhar por uma estrada tomada por belas roseiras detentoras de espinhos imensos.
Você sentirá o perfume, verá a beleza, mas também irá se ferir , e a melhor forma de prosseguir com o menor número de ferimentos possível é perguntar para quem está na frente em quais erros não se deve cair. 

Ser escritor é belo e é terrível. Valeu a pena?
Como uma vez poetizou Fernando Pessoa:
"Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do bojador 
Tem que passa além da dor."

Querem conhecer mais do Michel Duarte?
Adicionem seu perfil no Facebook, e acompanhem sua Página de Trabalho.


COMENTE PELO BLOG!

3 comentários:

  1. Adorei ler sobre isso, gostaria de conhecer mais sobre.. Bjs
    Blog / Fan Page / Instagram / Twitter / Canal no Youtube

    ResponderEliminar
  2. Bem profundo..... Fiquei até mal por não ler literatura nacional. Me rendo aos best best-sellers indicados por jornais de fora e não me dou ao trabalho de procurar coisas daqui. Você já me indicou um livro, mas podia fazer um post indicando alguns bons livros para iniciantes da literatura nacional !

    ResponderEliminar
  3. Muito bom Michel! Hoje mesmo eu e uma parceira escritora conversávamos sobre isso. Perfeito o texto. Desejo muito sucesso para você! ❤

    ResponderEliminar

Páginação - Não altere este gadget!





© de tudo um pouco - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - DESENVOLVIDO POR Horion Agência Digital