12 dezembro 2015

Dica de leitura - Carta de Amor aos Mortos- Ava Dellaira



Título:
Carta de Amor aos Mortos

Autora: Ava Dellaira
Gênero: Infanto juvenil / Drama
Editora: Seguinte 
Páginas: 344
Ano: 2014


Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop...apesar de ela jamais entrega-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era – encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um – é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.


Olá leitores, como vocês estão? Hoje venho comentar o livro Carta de Amor aos Mortos de Ava Dellaira. É um livro intenso, que prende a gente do começo ao fim.




Laurel, uma adolescente doce, inocente, mas quer carrega muitas  tristezas dentro de si, devido à morte de sua irmã May, que morreu há menos de um ano em um trágico acidente, que Laurel, por estar presente no terrível momento, se sente culpada por achar que poderia ter impedido.


Esse drama todo vivido por Laurel, faz com que ela carregue consigo sentimentos duros que a “impedem” de viver livremente as aventuras que a adolescência traz. 
É lindo o sentimento que Laurel carrega por sua irmã, que era seu porto seguro, sua luz, sua melhor amiga. Ela sente que a morte da irmã pausou sua vida também, e Laurel segue tentando viver normalmente, mas carregando consigo esse peso dentro do peito, talvez por não conseguir lidar com a morte de sua irmã. Laurel se fecha cada vez mais, se sente sozinha  e se magoa com o mundo, por continuar seguindo quando sua irmã já não está mais aqui.
E através de um trabalho de escola onde a professora pede para escrever uma carta para alguém que já morreu, é que a narradora vai colocando no papel tudo aquilo que sente e pensa. Ela escreve carta para vários artistas como Amy Winehouse, Kurt e Janis Joplin, e durante a leitura fiquei me perguntando quando ela escreveria para May, sua irmã.



Ela sente que sempre viveu à sombra da irmã, a achava linda e com grande sede de viver, via nela muita luz e queria ser como ela. Em sua mente ficam as questões de como lidar com isso, sem contar na separação dos pais, onde só quem poderia dar um ombro a ela e compreender o que estava sentindo, era sua irmã. Na tentativa de não ser apontada como a coitadinha que perdeu a irmã, Laurel se muda de escola para tentar assim seguir normalmente embora sabemos ser impossível, pois o que carregamos conosco vai junto por onde quer que andemos.
“Sabe, acho que, quando você perde alguma coisa próxima, é como perder a si mesmo. Fica difícil saber quem nós somos.”
Nesse novo colégio conhece Sky, por quem se apaixona e que a ajuda a virar a página.



Me tocou a maneira como Ava Dellaira descreve com exatidão os sentimentos pra mim até então impossíveis de traduzir em palavras. A autora parece viver o personagem, e me impressionou na forma de achar as palavras certas para descrever aquilo que só podemos sentir.
“É possível ser nobre, corajoso e lindo e ainda assim desabar.”
Sobre vulnerabilidade a autora descreve que “ quando conseguimos dizer as coisas, quando conseguimos expressar a sensação, talvez não estejamos tão indefesos ”, quando lemos uma obra  que parece ter sido escrita baseada no que sentimos, temos a sensação de termos sido traduzidos. Tive um pouco dessa sensação ao ler o livro. E por mais que ás vezes cansa ver Laurel se fazendo de vítima do mundo tudo o que acontece de ruim no mundo é culpa dela, vale a pena esta agradável leitura.
Fica aqui a minha dica ;-)
Mil beijos

                     Michelle Guerra




Sobre a autora: é formada pela universidade de chicago e mestre pela Iowa writers’workshop. Ela cresceu em Albuquerque, no Novo México, onde passou incontáveis tardes de verão fazendo pocões mágicas, lutando contra bruxas más e se divertindo com outras brincadeiras inventadas, que provavelmente contribuíram para que se tornasse uma contadora de histórias. Atualmente vive em Santa Monica, na Califórnia, onde trabalha na indústria cinematográfica e escreve seu segundo romance.









COMENTE PELO BLOG!

2 comentários:

  1. Só o titulo já me faz ficar curiosa, adorei a dica.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que tenha oportunidade de ler e aprecie a leitura.

      Eliminar

Páginação - Não altere este gadget!





© de tudo um pouco - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - DESENVOLVIDO POR Horion Agência Digital