profiss

11 junho 2015

Vivendo pra mim, Joyce Xavier

Depois que você sofre por um relacionamento, é difícil se entregar a outro. Você encontra homens para se divertir e corpos para apenas revirar os olhos. 
Afinal, o prazer nos faz bem, mas a maioria das mulheres se sentem sujas depois. No meu caso, sentia-me usada (por mais que eu tivesse usado alguém também), sentia-me desumana e com uma ressaca moral abalável. 
Para a solidão não ser inundada pelas as minhas próprias lágrimas, embriagava-me nas noites estreladas e disfarçava a carência procurando quem sempre me procurava por conveniência. Já nas noites chuvosas, enrolava-me no meu edredom e tentava assistir na TV algo para me distrair, alguma comédia que não me fizesse chorar.  
Quando eu me proporcionava a oportunidade de conhecer alguém, em pouco tempo percebia que tudo era apenas uma fantasia. Cegava-me com o medo de morrer sozinha e via-me no lugar que não era o meu. A necessidade de ter alguém ao meu lado, era mais importante que a minha própria felicidade. Não importava se eu estava em paz ou não, o que me satisfazia, era o fato de não ser mais uma encalhada. Tão idiota esse meu pensamento. 


A cada tentativa frustrada de um relacionamento, eu sempre me perguntava os motivos. Eu sempre culpava os homens pela falta de lealdade e por não ter a ciência de respeitar uma mulher. Depois de muito pensar, a culpa era realmente minha. Só minha. Eu só me sentia feliz, quando me sentia amada por alguém, mas não por mim mesma. 
Resolvi mudar a própria rotina, que havia criado para a minha vida.  
Mudei o meu astral, pintei o cabelo de outra cor, comecei a ir para lugares que eu realmente gostava e não para agradar alguém. Voltei a ser eu mesma e não uma funcionária de “caça-macho” ou uma panfletista de “procura-se um marido”. 
Parei de demonstrar a minha carência e comecei a cuidar de mim. Achei melhor, viver primeiramente para o meu bem estar. 
Hoje, declaro-me uma solteira feliz. Faço de tudo para não ter recaídas com o passado e não me deixo levar por desejos que futuramente serão difamatórios. 
O dia dos namorados, é um dia só meu. Eu me amo, eu me cuido e eu me protejo. Isso não quer dizer, que eu não queira um novo amor, isso quer dizer que hoje eu estou pronta para um novo amor, pois já aprendi a me amar em primeiro lugar. 


Não está participando do TOP COMENTARISTA? Então corra e começe a comentar em todas as postagens de junho, você pode levar o livro  Para Sempre uma Lembrança, da escritora Dayane Neves para casa!
Pra ganhar, basta comentar!
Não se esqueça que é preciso seguir o blog, curtir a página e deixar um e-mail de contato neste post.



6 comentários:

  1. O importante é estarmos bem com nós mesmas acima de tudo. A solidão faz parte da vida e também vem para ensinar, só não podemos se entregar para ela :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, é importante não se deixar vencer pela solidão.

      Eliminar
  2. Todos passam por um momento na vida, em que não se sentem amados.
    Acho que é nosso, essa necessidade de ter alguém nos amando e elogiando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente!
      Obrigada pela visita sempre.

      Eliminar
  3. Primeiro a gente tem que se amar, se estivermos bem com nós mesmos, ter outra pessoa ao lado é só um detalhe.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...