profiss

10 dezembro 2014

Congresso Nacional envergonha nossa frágil Democracia


O Congresso Nacional nos brindou no início dessa semana com uma das cenas mais grotescas da história recente da Casa e que se configura em um perigoso precedente contra a Democracia. Parlamentares, funcionários e cidadãos se agrediram verbalmente e fisicamente dentro da Casa que deveria respeitar e zelar pelos direitos do povo.
A confusão começou quando um cidadão que assistia a sessão (a galeia é aberta ao público) xingou uma Senadora. Por criar obstáculos ao prosseguimento da sessão, o rapaz deveria ser convocado a se retirar, obviamente. E caso se negasse  a fazê-lo, deveria ser conduzido pela Polícia Legislativa. Até aqui, nada de mais.
Só que se tratava da votação da LDO, uma matéria controversa. Os governistas queriam muito aprovar (a toque de caixa e de acordo com as imposições da Presidente Dilma) e a oposição criar qualquer fato que impusesse o adiamento da sessão.
Como nós temos Casas Legislativas permeadas por indivíduos oportunistas e emocionalmente pouco equilibrados, logo o fato fugiu ao controle do bom senso e do Regimento da Casa.
De um lado, assistimos um Renan Calheiros sem moral, agressivo, tentando conter os cidadãos inflamados que gritavam na galeria. Ao chamar a Polícia Legislativa aos berros e sem controle emocional, Renan deu início aos abusos e os legitimou.
Do outro lado, temos uma oposição oportunista que, para prejudicar a votação, saiu em defesa da não retirada dos manifestantes das galerias. Como argumento, defendeu que as sessões são abertas ao povo. Ok, o povo tem direito de assistir! Mas não tem direito de criar obstáculos à votação, aos trabalhos da Casa.
Enquanto Renan (e companhia) gritava que a culpa da confusão era da oposição, Aécio (e companhia) bradava que “o povo acordou” – tentando lamentavelmente jogar com a opinião pública.
Com tantos parlamentares em crise pública de histeria, a Polícia Legislativa perdeu o controle da situação e todos protagonizaram o óbvio: chutes, pontapés, agressão a uma senhora, cidadão atingido com arma etc.
Esse é um fato que não pode passar despercebido.
É um fato que não pode ser ignorado por nós.
A nossa já frágil Democracia não pode ficar refém do destempero de parlamentares que sequer conseguem prosseguir uma votação. os governistas não podem querer impor a sua forma truculenta de conter manifestações populares. E a oposição não fará bem ao país se continuar jogando dessa forma, incitando os cidadãos e se aproveitando politicamente de um fato lamentável como esse.
Transformando um dos pilares da Democracia num circo, governistas e oposição mostram despreparo para o diálogo com o povo, e os cidadãos presentes mostra nossa falta de costume em exercer respeitosamente nossa cidadania.
Daniele Barreto é advogada, consultora política e escreve no blog www.danielebarreto.com.br


Daniele Barreto
»» Advogada (UEFS), pós-graduada em Direito do Estado (UFBA), Consultora Política credenciada pela Associação Brasileira de Consultores Políticos, especialista em Marketing Político Eleitoral, Colunista (Coluna "Política à Flor da Pele"), Blogger.
Debata política conosco no FacebookFanPage e Twitter.
Ouça nossos comentários políticos em rádios baianas


2 comentários:

  1. Não é nem uma questão de desorganização,é uma questão de oportunismo mesmo...o mundo atual(não só o Brasil)virou uma briga em prol de interesses próprios. O 'coletivismo' está morrendo...
    Bjos de fadas
    http://lulopesfada.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, as pessoas estão se tornando cada vez mais indivudualistas...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...